Estado de SP anuncia primeira queda no nmero de Mortes por COVID-19 em 2022

Sade | 23/02/2022 | Por Reda鈬o

Publicidade

O Governado do Estado de São Paulo anunciou na tarde desta quarta-feira (23), por meio de uma entrevista coletiva com o Governador João Dória, que as mortes por COVID-19 no estado caíram pela primeira semana em 2022 após o pico de casos ocasionado pela variante Ômicron. A última semana epidemiológica fechou com uma redução de 11%, indicando uma tendência de queda já comprovada pela redução das internações na última semana.

“Essa queda consolida a tendência de redução de internações e de óbitos. A vacinação foi a grande responsável por evitar que a variante Ômicron causasse uma mortalidade em grande escala em São Paulo. Milhares de vidas foram poupadas”, disse Doria.

A média móvel de 7 dias de óbitos registrada nesta quarta-feira (23) foi a menor deste mês de fevereiro, com 212 novas mortes. O pico de óbitos neste ano foi no dia 8 de fevereiro, quando o estado registrou uma média móvel de 288 mortes.

De acordo com o Secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchteyn, a expectativa do Governo de SP é que as quedas se mantenham nos próximos dias. O secretário atribui o resultado ao avanço da vacinação no estado. “Nosso objetivo é ampliar ainda mais a cobertura vacinal com a terceira dose, que hoje já tem cerca de 20 milhões de pessoas vacinadas, e reduzir o número de faltosos com a segunda dose”, destacou.

 

Redução nas internações

As novas internações em leitos de enfermaria e UTI em São Paulo registram queda nas últimas três semanas epidemiológicas. O estado tem hoje 6.220 pessoas internadas, sendo 2.540 em unidades de terapia intensiva e 3.680 em enfermarias. A redução das novas internações na última semana foi de 27,9%.

Em comparação com o pico causado pela variante Ômicron, SP apresenta uma redução de 46% no total de internados. No dia 28 de janeiro, o estado tinha 11.541 pessoas em leitos de enfermaria e UTI.

Entre o total de internados em enfermaria neste ano, a redução comparada com o pico, que ocorreu no dia 27 de janeiro, foi de 52%. O maior número de internados em unidades de terapia intensiva ocorreu em 3 de fevereiro e a redução até aqui é de 38%.

Publicidade
Desenvolvido por